PAM se reestrutura graças a doações de empresários e da população

Assim como nos postos de saúde, onde os trabalhadores compram materiais básicos como gaze e esparadrapo para atender a população, no PAM é a doação de empresários e da população que faz a unidade seguir com os atendimentos. Funcionários também fazem a famosa “vaquinha”, tirando dinheiro do próprio bolso para não deixar a população sem consulta.

Há muito tempo a Prefeitura de Dourados não tem dado assistência às unidades de saúde. Problema refletido nos demais órgãos e departamentos da administração municipal.

Conforme noticiou o Dourados Agora na semana passada, funcionários da saúde realizaram protesto em frente da prefeitura e avisaram que não vão mais “tapar o sol com a peneira”, ou seja, vão deixar de comprar gaze, esparadrapo, entre outros materiais básicos. Com isso o atendimento deverá ser prejudicado.

No PAM, servidores também compram materiais para garantir o atendimento nos departamentos. Na área administrativa, por exemplo, são os funcionários que compram papel e tinta para as impressoras. Sem isso, pacientes sairiam de lá sem receita. Médicos também fazem vaquinha.

Se não fosse o eficiente trabalho da coordenadora do PAM, a assistente social e gestora em Saúde, Simone Freitas, a unidade estaria enfrentando sérios problemas.

Proativa, ela não espera pelo poder público, pois sabe que se dependesse não conseguiria praticamente nada para manter o PAM no dia a dia. Na rede social, Simone publica as conquistas de doações de empresários e da população.

“Recebemos hoje doação de canaletas para instalação de computadores na recepção e acabamento na parte de cabos de rede da Empresa Alvorada Materiais de Construção. Gratidão ao apoio do Gerente Robson Zitei, que sempre nos atende!”, postou no último dia 6.

Nesse mesmo dia ainda agradeceu: “Recebemos nesta semana doação de 05 ventiladores de teto, para instalação nas recepções do Posto Atendimento Médico – Pam, onde poderemos oferecer acolhimento com espaço mais arejado aos nossos pacientes. Foram contempladas a recepção central (bloco vermelho) e recepção do ambulatório (bloco verde). Gostaria de agradecer imensamente ao meu amigo, empresário Romem Barleta que se prontificou em atender ao meu pedido, juntamente com a contribuição dos amigos Mito Gebara , Dr José Odayr Zangirolami e Michel Nottbeck Bechtejew. “Sonho que se sonha junto se torna realidade”. Gratidão a todos que se doam em prol de ajudar ao próximo. Deus os abençoe por este gesto nobre”, relatou a Simone Freitas.

Outra publicação da coordenadora do PAM chama a atenção. É a reforma de cadeiras que estavam descartadas. “Do lixo ao luxo”. Hoje nossos corações estão transbordando de alegria e gratidão… “…Mais uma conquista para o atendimento no Pam Covid, poltronas para medicação rápida aos nossos pacientes, atendimento humanizado e acolhedor com mais conforto e dignidade. Essas poltronas estavam no descarte, com ajuda de anjos que compõem a REDE DO BEM DOURADOS-MS através da amiga Juliana Basilio conseguimos realizar a reforma das mesmas, o resultado ficou lindo”, escreveu.

Ela agradeceu os doadores, como a arquiteta Juliana Saraiva (doação de tecido), os amigos da Rede do Bem (tinta e tapeçaria), Tony Barbosa (transporte), CSG Tornearia (solda) e Leila Crisanto (doação de 10 cobertores).

Outras doações ao PAM postada por Simone Freitas foram: botijão (Fortaleza Gás), recarga gás (Mercado Pampa), fogão (enfermeira Paula Batista Santos), tinta e água destilada (Rede do Bem Dourados), e caixa de luvas e máscaras descartáveis (Eurofarma).

O PAM passou por recente reforma. Graças a recurso do governo federal de R$ 1 milhão, grande parte da estrutura existente há 30 anos passou por revitalização.

No PAM são oferecidos atendimentos para Dourados e região em várias especialidades médicas, psicologia, nutrição e enfermagem. No local deveria estar funcionando atendimento de fisioterapia, contudo, a prefeitura está demorando colocar o serviço na ativa. Enquanto isso, pacientes aguardam na fila.

Fonte: Douradosagora