“Não há essa possibilidade”, diz Marquinhos Trad sobre Zeca do PT como vice

As portas estão fechadas para negociar com o ex-governador José Miranda Orcírio, o Zeca do PT, em uma possível aliança com o prefeito Marquinhos Trad (PSD). Depois que o petista afirmou ao Campo Grande News que não descartava a possibilidade de ser vice na chapa de Trad, o pré-candidato ao governo do Estado, foi enfático em dizer que isso está fora dos planos dele.

“Não há essa possibilidade”, disse Marquinhos Trad. Ele ainda acrescentou que estão descartadas para a aliança no ano que vem outros nomes. “Nem com ele [Zeca do PT], ], nem com André [Puccinelli (MDB)] e nem com Reinaldo [Azambuja (PSDB)]!”.

Até o momento o prefeito tem afirmado que só faz aliança com “Deus e com a população”. Ele segue a cartilha da eleição passada, quando se reelegeu a prefeito da Capital, e adota o mistério até a última hora para sua composição.

A decisão passada foi manter a vice-prefeita Adriane Lopes (Patriotas), ao seu lado. Mas por conta de ser uma campanha estadual, o que se fala é que haverá mudança nesse ‘time que está jogando e ganhando’. A expectativa é uma aliança com um partido que tem forte potencial eleitoral no interior do Estado, já que nos últimos seis anos Trad se dedicou exclusivamente a Campo Grande.

Compromissos – Embora tenha descartado aliança com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para o ano que vem, o prefeito disse que irá manter a Funesp (Fundação Municipal de Esportes) com indicação dos tucanos.

“Eu honro compromissos e estou aguardando os nomes de pessoas qualificadas e competentes do PSDB para verificar qual o nome mais apropriado para nossa cidade”, afirmou o prefeito.

A mudança ocorre após o tucano Claudinho Serra deixar a função há três dias, por conta de motivos pessoais. A esposa está grávida e exige mais atenção do ex-diretor-presidente que ficou nove meses na fundação.

Marquinhos Trad diz ter sua preferencial para a missão, embora não saiba quem são os cotados. “Eu ouvi dizer que o João César Mattogrosso [atual secretário de Estado de Cultura e Cidadania] poderia retornar [ele é vereador licenciado]. Mas que o vereador Ademir Santana seria um nome muito bom, seria.”

 

Fonte: Campograndenews