Após protesto, prefeitura diz que vai pagar funcionários da UPA e Hospital da Vida

Funcionários do Hospital da Vida e da UPA podem receber os salários amanhã. Pelo menos foi o que garantiu uma funcionária da Funsaud (Fundação de Saúde), autarquia responsável por administrar as unidades.

Pela manhã técnicos de enfermagem realizaram protesto em frente à prefeitura. Eles cobram uma série de reivindicações. Além do pagamento que não tem sido feito em dia, pedem reajuste salarial, férias atrasadas e melhores condições de trabalho. A Funsaud, subordinada à Secretaria Municipal de Saúde, enfrenta crise financeira e o rombo passa de R$ 70 milhões.

No período da tarde, os funcionários foram protestar na Funsaud. Eles queriam conversar com o presidente da Fundação, Jairo José de Lima. Ele não compareceu e uma funcionária identificada como Tânia disse aos funcionários que o pagamento sairá nesta sexta-feira (9).

As demais reivindicações da categoria não foi informada quando haverá solução. Há muito tempo os servidores cobram, inclusive, melhores condições de trabalho. Eles questionam a qualidade dos materiais enviados a UPA e Hospital da Vida, a exemplo das máscaras, que não são adequadas, principalmente em período de pandemia.

Cerca de 30 técnicos de enfermagem estiveram na tarde de hoje na Fundação. O representante dos funcionários, Claudinei dos Santos Moreira, fez uma transmissão ao vivo pelo Facebook e disse que “a direção chamou a Guarda Municipal para retirar os trabalhadores do local”. O presidente da autarquia não compareceu.

No dia 14 de julho haverá Assembleia Geral Extraordinária entre os funcionários da UPA e Hospital da Vida. Convocado pelo Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde (SEESSD), em pauta estará discussão sobre convenção coletiva de trabalho de 2017 a 2021.

Por: Flávio Verão